O preconceito da tatuagem

12:15

Quando criada, a tatuagem era considerada algo sagrada pelos povos antigos, simbolizava a passagem entre ritos, diferença entre classes sociais e tribos. O preconceito da tatuagem se iniciou quando os marinheiros nas expedições capitaneadas começaram a tatuar os corpos.
Foi considerada como algo inapropriado pela Igreja no primeiro século depois de Cristo, era considerada como uma violação do corpo sagrado, o templo do Espírito Santo estava sendo invadido. Em conjunto com isso os marinheiros disseminaram a mania da tatuagem, pessoas que geralmente tinha fama de ladrões, ex presidiários e condenados.

Portanto, o preconceito que até hoje assola a sociedade tatuada é provida pela igreja antiga, que após algum tempo começou a marcar pessoas denominadas pecadoras com símbolos e pequenas tatuagens no rosto ou em locais expostos para sempre ficarem com esse significado a mostra.
Diante de toda essa incrustação na história do mundo, a tatuagem tem um significado inscrito que traz a tona a sensação de ladrão, de pessoa de má fé e com irregularidades.
Porém, com o passar do tempo e a abertura do mundo para novas ideias polêmicas, isso fez com que um pouco do preconceito sumisse, mas não por completo. Hoje existem muitos estúdios de tatuagens, muitos profissionais e pessoas famosos que são tatuadas, o que ajuda cada vez mais a desmistificar essa ideia antiga e retrógrada que ainda assola a cabeça das pessoas.

Hoje é difícil encontrar uma pessoa que não seja tatuada, reza a lenda que quando se faz a primeira tatuagem, nunca mais se consegue parar, cobrindo o corpo cada vez mais com pequenos desenhos ou escritas.

Isso dá a pessoa mais personalidade, mostrando para todos que até mesmo não a conhecessem no que ela acredita ou gosto, além de expressar que tem a mente aberta e não acreditar nos antigos preconceitos que ainda teimam em existir. Veja mais sobre no site sobre tatuagem.

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

0 comentários