O CPF na Nota da Nota Carioca é um dos indícios de que a relação de governo e empresas está mudando no Brasil

12:07

O Brasil está em um processo de mudança e maturação. Ao menos é o discurso que os cientistas políticos fazem nos programas de comentários na televisão. Inserido num contexto de mudança sociais  os escândalos de corrupção no Brasil vieram à tona no momento mais propício, desde o Mensalão para cá o governo está começando a admitir mais seus erros e começar a tomar medidas mais duras em relação a relação promíscua que o mesmo tem com as empresas .

Na entrevista do Jornal Nacional que Eike Batista deu antes de ser preso elogiou o momento do Brasil, disse não ter nada contra a Lava Jato e acredita que a relação que as empresas tinham com o governo em relação a questão de legislações, folgas, ajudas, incentivos fiscais e fraudes nas licitações prometem mudar nos próximos anos. Nas palavras deles até então era essa a realidade. 


Entre as medidas que estão sendo sucesso por parte dos governos  para combater essa malandragem das empresas brasileiras está o aumento do ICMS por parte de alguns estados. No Rio de Janeiro por exemplo no fim de 2017 esse imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços foi discutido seriamente na assembléia legislativa do Rio de Janeiro e mesmo assim, aprovado no dia 13 de dezembro.

Além desse aumento da contribuição que as empresas precisam ter para o investimento dos Estados  ajustou-se em 11 estados brasileiros a inserção do CPF na nota. Ao contrário do que muitos pensam, esse não é um método do governo em repassar informações à Receita Federal, averiguar padrões de consumo  ou a renda dos contribuintes e sim evitar  a sonegação de impostos por parte das empresas.

Além disso, o consumidor também é beneficiado com mais direção afinal, a contribuição arrecadada não será somente convertida em serviços e investimentos em setores da sociedade de acordo com a administração local, mas terá 30% do que foi gasto pelo participante convertido em benefícios. 

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

0 comentários